Primeira vez com o personal trainer!!

Sou bastante novo por estas andanças, sempre as minhas histórias mas nunca escrevi nenhum conto, hoje decidi colocar por escrito as minhas experiências talvez gostem eu espero que sim, tudo o passado aqui é totalmente real!
Vou começar por me descrever, sempre me senti um pouco inferiorizado e intimidado pelos outros rapazes porque tenho apenas 1,62 cm de altura, e como se não bastasse a minha baixa estatura também tenho um rabo enorme por isso durante a minha infância e adolescência sofria de bullying, chamavam tanto de baixo e diziam que tinha rabo de rapariga, a verdade é que tenho um rabo bastante recheado, redondinho, rechonchudo e fofinho, hoje sou passivo afeminado durante o sexo e estou bastante orgulhoso do meu rabo!
Acabado de completar os meus 17 anos decidi tomar medidas para alterar a dimensão do meu rabo e entrei numa academia para tornar o meu rabo menor, era claro uma tentativa mas a genética não se altera e não resultou, mas lá conheci o meu preparador físico, um homem alto com mais de 1,80 e bastante vigoroso o tipo de homem que pratica bastante desporto durante muito tempo. Ele sempre elogiava o meu rabo quando eu dizia que queria perdê-lo e certos quando estávamos sozinhos ele acompanhava o elogio com uma palmada que fazia o meu rabo tremer e me arrepiar todo.
Eu sempre tomava banho na academia e ele sempre ficava à minha espera porque eu era sempre o último a sair e ele ficava sempre com as chaves do espaço. Certo dia depois de um treino duro eu fui tomar o meu duche como era o único ali deixei a porta do balneário aberta e comecei a tomar banho completamente nu lavando o meu corpo todo depilado pois nunca gostei de pelos. Então reparei que na porta aberta estava o meu instrutor a espiar enquanto eu me lavava e decidi começar a provocar um bocadinho adoptando uma pose mais feminina e lavando as minhas nádegas redondinhas olhando pelo canto do olho para a porta para verificar que o instrutor estava lá. E estava, olhando me de cima a baixo. Decidi provocar ainda mais um bocadinho, passei mais gel de duche no meu rabo e comecei a enfiar um dedo dentro de mim, de forma a que ele visse bem o que eu estava a fazer, pensei que ele não fizesse nada mas fez. Estando eu na minha auto satisfação entrou pelo balneário adentro perguntando se eu por acaso queria uma massagem eu claro disse que sim, tirei a espuma de mim e enrolei me na toalha ele disse que não era necessário seca e fomos até à sala de massagens.
Pediu que me deitasse na mesa de massagem totalmente nu e assim fiz, e ele tirou a roupa ficando apenas de cuecas com a desculpa de que era para se movimentar melhor, mas eu calculava o que sairia dali e verdade seja dita um corpo daqueles era uma alegria para a minha vista!
A massagem começou normalmente a massagear as costas os ombros essas coisas normais, depois as pernas e finalmente a parte que ele queria massagear, os meus glúteos dizendo que essa parte teria que ser bem trabalhada porque hoje os tinha usado muito. Estando eu bem relaxado por ter aquelas grandes mãos a passarem, apertarem e apalparem o meu rabo colocou uma nova camada de óleo no meu rabo e começou a espalhar bem no meu rego depilado passando no buraco até que sem me avisar me enfiou um dedo lá dentro, bem mais grosso que o meu dedo, mas não reclamei nem me mexi. Com uma mão continuou massageando as nádegas e adicionou mais um dedo no meu rabo, agora sim tive que me pronunciar soltando um suspiro abafado de satisfação e empinando o meu rabo levemente e ele começou com um vai e vem gostoso com os dedos tirou a outra mão do meu rabo e reparei que ele estava tocando o seu pau e poderia ser eu a fazer isso, comecei com a minha mão à procura do pau dele até que ele entendeu e me meteu o pau na mão e assim que o senti tive que me virar para o ver, era o primeiro pau que não era o meu que tinha nas mãos e era muito maior e mais grosso que o meu, não medi mas devia ter 19/20 cm e era tão grosso. Puxei-o mais para mim e ele ficou perto da minha cara com o pau na minha mão apontando para mim com os dedos no meu rabo massageando num vai e vem. Apanhei coragem, abri a boca e comecei meti a cabeça deliciosa do pau dele na boca, deu uma chupadela para o tirar bem devagarinho, então tirou os dedos do meu rabo dizendo que queria ver o meu trabalho. Novamente voltei a abocanhar primeiro apenas a cabeça do pau, lentamente e suavemente, envolvendo-o com a minha boca, enfiei mais um bocadinho mais do pau e voltei a tirar chupando lentamente mas sem o tirar por completo da boca e voltei a comer aquele pau e fui chupando, mamando até onde conseguia engolir, variando a velocidade parando de vez em vez para dar uma grande lambidela de cima abaixo voltando a mamar novamente até que ele me mandou parar de chupar e me colocou de quatro no chão sobre um pequeno tapete. Abaixou-se atrás de mim passando uma generosa camada de óleo no meu rabo e no pau dele também, com uma mão segurou me com firmeza na anca fazendo me dobrar a coluna e com a outra apontou o pau que me ia rebentar todo dizendo para mim baixinho que não tinha trazido preservativo mas para não me preocupar. Senti a cabeça passar o meu rego procurando um buraco onde se enfiar, foi passando até que encontrou e suavemente mas com firmeza começou a forçar a entrada daquele cacete uma pequena dor despertou no meu buraco e foi aumentando à medida que a cabeça ia entrando e senti a dobra da cabeça entrar e a dor foi ficando cada vez maior mas segurei para não gritar em vez disso relaxei e ele foi empurrando a pouco e pouco, nunca nada me pareceu tão grande, e tão grosso até que ele parou, perguntei se já estava mas não ele disse que ainda faltava metade mas começou a tirar de mim enquanto ainda sustinha para não gritar. Ele queria que o meu rabo se habituasse ao pau, tirou até à cabeça e voltou a enfiar sem pressas. Eu ia relaxando e a dor ia diminuindo. Ele foi metendo e tirando até que por fim a dor quase desapareceu e eu pedi que ele o enfiasse todo e ele assim fez numa estocada repentina enterrou-o todo dentro de mim, segurando me com firmeza fazendo me dobrar ainda mais as costas. Voltou a tirar de mim perguntando se podia aumentar o ritmo e eu disse que sim e foi aumentando devagarinho mas quando dei por mim estava a levar pequenas marteladas nas minhas nádegas, o ritmo ainda estava meio lento mas isso fazia o meu rabo tremer. Doidinho com o pau no rabo decidi pedir mais velocidade e então ele começou a bombar, segurou ainda com mais força e firmeza e deu me estocadas grandes e vigorosas, agora não tremia apenas o meu rabo todo eu tremia perante a potência de cada martelada, eu queria gritar mas tive de aguentar soltando leves gemidos. Do nada parou tirou de mim e me deitou com o rabo na ponta da mesa de massagem, levantou as minhas pernas segurando-as com os braços e enfiou todinho de uma vez só recomeçando com as agora mais deliciosas marteladas pelo meu rabo adentro. Os meus pés e pernas tremiam com cada cacetada, e eu agora gemia muito, bem gostoso para ele ouvir, sem me dar trégua foi me estocando e eu sentia a mesa abanar debaixo de mim, sem pena de mim continuou dando-me valentes cacetadas até que decidiu parar abruptamente e tirar o pau de mim levantando-me da mesa, pegando-me na mão e dirigindo-me até ao balneário reservado para instrutores. Assim que lá entramos ligou todos os chuveiros, a água começou a sair logo boa de temperatura, calculei que ele estivesse a tomar o seu tempo para descansar e conseguir durar mais, naquele ritmo ele iria aguentar pouco, do nada saiu para ir buscar o frasco de óleo, e eu fiquei lá debaixo dos chuveiros que estavam a encher tudo de vapor, ele regressou massageando o seu membro ereto, deixando-o com uma nova camada de óleo escorregadio chegou bem perto de mim, eu subi nos biquinhos dos pés e envolvi o pescoço dele com os meus braços, de um jeito maroto perguntou se eu queria andar de cavalinho, e claro eu disse que sim, dito isso ele deitou-se no chão e ficou à espera que eu me sentasse em cima dele, meio exitante coloquei cada joelho de um lado, ele pegou no óleo meteu uma grande dose no início do meu rego e foi deixando escorrer, enquanto isso eu ia passando o meu rabo naquele mastro e já que eu tinha provocado decidi tomar agora as rédeas da situação. peguei nas mãos dele que estavam a segurar o meu rabo e usei as minhas mãos para as prender ao lado da nuca dele, enquanto eu ainda fazia festinhas com o rabo naquele cacete. Disse para ele não se mexer, queria voltar à posição dominante, e com uma mão peguei-lhe no pau pelo meio das minhas pernas e levantei-o até o apontar na entrada do meu rabo, depois voltei a segurar as mãos dele e maliciosamente comecei a fazer uma pequena pressão no pau, baixando o rabo mas sem o enfiar enquanto eu roçava o meu nariz no pescoço dele e perguntava se ele achava que o deveria enfiar. aquele joguinho estava a deixá-lo bastante excitado e então aumentando a pressão do meu rabo deixei a cabecinha entrar lenta e deliciosamente em mim dura que nem pedra, e então sem aviso prévio deixei cair todo o meu rabo enterrando aquele mastro todo de uma vez só fazendo-o soltar um longo suspiro de satisfação, adorei aquela reação e de novo voltei a repetir subindo lentamente até sentir a dobra da cabeça a tentar sair do meu rabo e deixando cair de novo fazendo-o suspirar, devagarinho comecei a andar de cavalinho, deslizando para cima e para baixo nele, sentindo cada pedaço de pele, cada curva, cada veia apreciando toda a textura de pele coberta de óleo. a sensação era tão deliciosa que me esqueci de lhe segurar as mãos e coloquei as minhas mãos no peito dele levantando o meu tronco. Ele aproveitou esse momento de liberdade, pegou no meu rabo e começou a ajudar-me no movimento, comecei a aumentar devagarinho o ritmo a que o meu rabo percorria o pau dele, e ele ajudou o movimento fazendo também movimentos com a cintura, não se podia comparar às estocadas na sala de ginásio, agora conseguia sentir toda a majestosidade e deliciar-me com ele dentro de mim. Dobrei-me para encostar novamente a minha cara ao seu pescoço, e agora era ele que com a ajuda as mãos e força de braços movimentava o meu rabo, até que parou e deixou o meu rabo com ele todo lá dentro. Perguntei se já tinha terminado, e ele respondeu que quando terminasse eu iria sentir, agora apenas estava a pensar a posição seguinte. Eu ajudei na decisão, retirei o pau de mim levantando-me e comecei a andar de quatro abanando as minhas ancas no meio do vapor, até encontrar os bancos do balneário, meti os braços em cima do banco e encostei a cara neles empinando o meu rabo convidando-o para me vir comer o que ele fez, levantou-se e caminhou para mim devagar deixando-me na expectativa, meteu ambas as mãos nas minhas ancas e sem precisar de apontar o cacete apenas com um movimento de anca senti de novo a cabeça alargar-me de novo, devagarinho enterrou-o todo baixou-se para me beijar as costas e entre beijinhos disse que iria terminar de forma delicada, dizendo isso tirou de mim lentamente até sentir a dobra da cabeça e voltou a enfiá-lo lentamente, e repetindo para que eu sentisse novamente cada veia e saliência dele até que foi aumentando o ritmo mas ainda assim continuava devagar, e eu gemia a cada entrada a saída dele. Então dizendo que assim ia demorar muito pediu para aumentar mais o ritmo, eu assenti com a cabeça, e ele prometeu que ia terminar lentamente para eu sentir tudo. Dizendo isso começou a aumentar o ritmo, sempre a aumentar, até de novo começar a dar-me cacetadas fazendo-me tremer por completo em especial o meu rabo que tremia a cada impacto, agora já não sentia as curvas era tudo direito mas mesmo assim era delicioso, agora já não gemia suavemente eu gania a cada martelada frenética dele e então as estocadas vigorosas pararam e voltou à suavidade de antes, voltei a sentir tudo, comendo-me lentamente parou com apenas a cabeça dentro de mim e sem avisar espetou-o todinho dentro de mim como tinha feito eu com ele, e continuou com o vai e vem lento, senti as mãos dele apertarem-me mais nas ancas, o pau dentro de mim estava a ficar cada vez mais duro e mais grosso e sem avisar parou novamente só com a cabecinha dentro de mim e comecei a sentir os jatos de esperma dentro de mim, e ejaculando foi enterrando o pau dentro de mim enquanto eu me contorcia e arrepiava ao senti-lo distribuir o leite dentro de mim a quantidade de leite era enorme com ele totalmente enterrado ainda soltou jatos dentro de mim, quando terminou foi tirando lentamente de mim ainda duro, fiquei ali de rabo arrebitado ainda arrepiado e ele olhando para mim enquanto.
Depois tomamos banho juntos eu lavei o corpo dele, e ele o meu. E eu estava doidinho pela próxima vez.
E foi assim a primeira vez com o meu instrutor do ginásio.
180
-
Rates : 0
%d مدونون معجبون بهذه: